ADS

O caminho percorrido no Itinerário de Preparação para o Matrimônio


Quando um casal decide receber o sacramento do Matrimônio começa uma série de preparativos e junto com ele deve ser iniciado o Itinerário de Preparação para o Matrimônio, uma etapa importantíssima do processo. A Pastoral Familiar da paróquia Ascensão do Senhor iniciará em março o itinerário que é composto por 11 encontros, com duração média de 60 minutos cada, podendo durar de um a dois meses, sendo uma ou duas reuniões por semana e deverá ser concluído, preferencialmente, seis meses antes do casamento.

Alguns podem se perguntar o que aconteceu com o curso de noivos que era ministrado em algumas horas de palestras ou partilhas condensadas em poucos dias. Entretanto, o itinerário não é nenhuma novidade, mas uma proposta de décadas, que andava adormecida ou era desconhecida.

No final de janeiro de 2018, em audiência com os membros do Tribunal Eclesiástico da Rota Romana (o tribunal superior da Igreja), o Papa Francisco falou da necessidade de se promover um catecumenato matrimonial para os noivos. Mas esta não foi a primeira vez que o Papa Francisco falou sobre o tema, o assunto é recorrente no seu pontifício e foi tema no documento Amoris Laetitia, publicada em 2016. Também o Papa Bento XVI comentou sobre o tema por diversas vezes.

As palavras itinerário (sinônimo de percurso) e catecumenato (sinônimo de catequese) nos remetem a um caminho de formação dos noivos, algo que não se faz de um dia para o outro. Segundo explica o pároco Manoel de Oliveira Filho, a Pastoral Familiar no Brasil compreendeu e objetivou a compreensão de que não existe um curso para o matrimônio, em que os noivos recebem toda a experiência da equipe que oferece o conteúdo. “Agora a reflexão é feita em conjunto, de forma dialógica, a partir do ensino da Igreja e da experiência de todos os participantes”, afirma.

O sacramento do Matrimônio é o cumprimento de uma vocação para a comunhão íntima, exclusiva e indissolúvel entre um homem e uma mulher. De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, o próprio Deus é o autor do casamento, que foi elevado à dignidade de Sacramento por Jesus. “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (CIC 1603-1604).

Sônia Figueira, coordenadora da Pastoral Familiar da Ascensão do Senhor, explica que para casar é preciso ter vontade e maturidade para assumir os compromissos que fazem parte deste sacramento, por isso, a igreja oferece preparação feita através de encontros personalizados.

“São encontros catequéticos que a igreja disponibiliza para melhor reflexão sobre o que é o sacramento do matrimônio, proporcionando momentos de diálogo, amizade, oração e conhecimento da doutrina da Igreja. São realizados em pequenos grupos de no máximo quatro casais de noivos”, afirma Sonia.

Itinerário de Preparação para o Matrimônio

O Itinerário é realizado por agentes da Pastoral Familiar do setor Pré-Matrimonial preparados para acompanharem e auxiliarem a discernir sobre esta vocação. A preparação é destinada a casais de noivos, namorados ou casais que já vivem juntos e que estejam aptos a este sacramento. Neste último caso recomenda-se uma conversa prévia com o padre ou diácono.

Os encontros acontecem nas salas das paróquias ou na casa do casal acolhedor, onde num clima fraterno são partilhados temas sobre o convívio conjugal e familiar. Quem quiser maiores informações, deve procurar a secretaria paroquial.

Histórico

Como citado no início da matéria, a proposta do Itinerário é bem antiga. Em 1968, no documento de Medellin, os bispos latino-americanos já recomendavam a intensificação de uma pastoral sacramental comunitária para preparações adequadas para os sacramentos (Item 3.d.2, Conclusões de Medellin). Em 1978, o Documento número 12 da CNBB já falava em Preparação Remota e Próxima e que esta não se pode reduzir a um curto período antes da celebração. (Parágrafo 2.4, Documento 12 CNBB).

Em 1981, o Papa São João Paulo II publicava a Familiaris Consortio, detalhando que a preparação possui as etapas Remota, Próxima e Imediata. No ano de 1996, também no pontificado de São João Paulo II, foi publicado pelo Pontifício Conselho para a Família um documento totalmente voltado à este tema, a começar pelo título: Preparação para o Sacramento do Matrimônio. E em 2007, o documento de Aparecida no parágrafo 437, pede a ação de “renovar a preparação remota e próxima para o sacramento do matrimônio e da vida familiar com itinerários pedagógicos de fé” (437.c).