ADS

Ministro Extraordinário da Eucaristia: uma missão de fé e amor ao próximo


Os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC’s) exercem dentro da igreja a importante missão de servir ao próximo. O serviço exercido pelos fiéis leigos facilita a distribuição da Sagrada Comunhão em Igrejas, capelas, hospitais, residências particulares ou onde não seja possível a presença de um sacerdote. O ministro pode também celebrar a Palavra na ausência do sacerdote quando designado por este.

A comunidade deve e pode solicitar o serviço do ministro sempre que tiver um idoso impossibilitado, enfermo em casa ou hospitalizado. Essa linda missão permite que o próprio Deus continue sendo alimento de quem, por algum motivo físico, não consegue se dirigir a uma Igreja. “A paróquia da Ascensão conta com 30 ministros que estão disponíveis para levar carinho, amor, a Palavra de Deus e a Comunhão para aqueles que podem receber por prática da fé e/ou pelas condições de deglutir, a depender do estado do idoso ou enfermo”, explica Carmem Lúcia Bastos da França, coordenadora dos MESC’s.

A ministra Ângela Maria Garcez Leitão Guerra conta que sempre que participava das missas se sentia encantada com o serviço litúrgico. “Quando fui chamada para servir ao meu Deus como Ministra Extraordinária da Comunhão me senti como o centurião que fala ao Cristo: “Senhor, não sou digno de que entreis na minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo!” Foi uma emoção, uma responsabilidade imensa que senti, afinal seria uma guardiã das coisas de Deus, como a anciã Ana que servia no templo e pode ver o menino Jesus sendo apresentado e pode transmitir a todos que o Messias havia chegado”, diz emocionada.

Seu marido, que também é ministro, José Martins Leitão Guerra Filho, lembra que ao ser chamado para o serviço o remeteu aos tempos de coroinha e da importância de estar contrito diante do sacrário. “Hoje, na mesma certeza, segurando o corpo de Cristo e distribuindo aos ‘pobres’ em Espírito me sinto em plena alegria. Ministrar a Eucaristia é sentir a responsabilidade da necessidade em ajudar muitos que nos vem sem a dimensão da responsabilidade e significado do momento. Compenetrado nesse estado tenho a certeza de que estou sendo útil ao meu Deus, lembrando do meu fiel dever de ser responsável”, afirma.

O serviço tem tempo de mandato determinado pela igreja de três anos, podendo ser renovado por mais três conforme critério do pároco de renovar ou não, a fim de dar oportunidade a outros fiéis da comunidade. Como o título diz, é um serviço “Extraordinário”, porque “Ordinário” é o ministério da Ordem, ou seja, exercido pelo Sacerdote.

Critérios de escolha de acordo com o Manual do Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística e da Palavra de D. José Maimone

1. O candidato ser escolhido pela Comunidade e aprovado pelo pároco. Ou ser escolhido pelo pároco entre os agentes leigos mais aceitos pela Comunidade;

2. Ter um grau de cultura suficiente para exercer bem no seu ambiente esse ministério e ter idade mínima de 25 anos e máxima de 75 anos;

3. Ter liderança para exercer uma influência positiva na formação e unidade da comunidade;

4. Ser responsável, estar pronto para servir e possuir do espírito apostólico;

5. Antes de ser admitido, o fiel deverá participar de curso de formação preparatória ministrado pela Coordenação Pastoral Diocesana ou a critério do pároco;

6. Ter desejo e possibilidade de crescer na fé, de aperfeiçoar seus conhecimentos, e estar disposto a participar cada ano do Curso de Renovação, assim como dos Encontros Paroquiais de Formação;

7. Gozar de boa reputação pelo seu modo cristão de viver;

8. Se for casado, ter boa vivência conjugal, ter o Sacramento do Matrimônio e contar com a compreensão, apoio e consentimento de seus familiares para se dedicar ao ministério.