ADS

Ser ministra, um chamado de amor


  • Carmem Lúcia

Em setembro de 2011, encontrei a Igreja Ascensão do Senhor. Até então, não tinha me encontrado em nenhuma paróquia. Recolhia meu dízimo onde periodicamente frequentava (Itapuã, Vale do Lagos, Imbui, etc). Não fui criada como fiel católica, apesar de ser batizada, crismada, casada na igreja. Frequentava missas esporadicamente, em meus aniversários e eventos. Aos meus filhos dei todos os sacramentos do mesmo jeito que recebi, mas já de uma forma mais consciente na fase da segunda infância dos dois, graças a Deus.

Em 1999, conheci a Renovação Carismática Católica e tive meu encontro pessoal com Jesus; comecei a frequentar um grupo de oração, passando então a ser assídua às missas dominicais e dias santos. Com o tempo, fui entendendo a necessidade de missa diária sempre que podia, mas sem ter paróquia certa. Nunca servi em paróquia, somente participava das missas e pronto. Em meu grupo de oração, temos formações frequentes e somos chamados a servir em ministérios. Fui formada para o Ministério de Oração, Cura e Libertação, onde passei a servir fielmente. Mas me faltava algo. Sentia falta de me engajar numa paróquia, quando conheci a então Área Pastoral Ascensão do Senhor em 2011 e fui tão acolhida pelo Padre Manoel no momento que cheguei aflita procurando me confessar, me consolar. Logo fui inserida no contexto dos projetos do padre para evangelização na área da Paralela, me convidando a buscar criar uma comunidade no condomínio dos Securitários, onde morava. Foi tudo muito rápido. Surgiu a comunidade da Imaculada Conceição já em 27 de outubro de 2011.

Poucos meses depois, qual foi minha surpresa, recebi o convite para ser Ministra Extraordinária da Sagrada Comunhão. O susto foi muito grande porque jamais passou por minha cabeça tamanha honra. Eu, tão indigna criatura!!!! Fui então investida em dezembro de 2011. A emoção é inigualável e incontida. Aos poucos fui entendendo que, aquele convite não fora um convite e sim um chamado de “Deus” para me ensinar a penetrar no mistério da Eucaristia e aumentar a minha fé, ou melhor, ensinar-me a ter fé. Pois sempre achei que minha fé não era tão segura quanto à eucaristia. Como talvez todo cristão iniciante tenha o mesmo drama na consciência. Tipo: “Como é possível a transformação do pão em corpo de Cristo?” Meu Deus, quanta imaturidade de fé! Ainda bem que temos um Deus que cuida tão bem de nós e vê todo o nosso ser e sabe do que somos capazes de nos transformar e os frutos que podemos dar porque Ele é puro AMOR. Hoje tenho certeza que a Eucaristia é o alimento para nossa alma. O remédio que nos cura, fortalece e nos dá coragem.

É isso, na Paróquia Ascensão do Senhor, minha Fé em Ascensão!

Carmem Lúcia Bastos da França, Serva do Senhor e Ministra Extraordinária da Eucaristia

Voltar