ADS

FÉ E POLÍTICA


  • Jorge A. Meletti

A pobreza e marginalização social não são casuais, são frutos do modo injusto e desigual de organização de nossa vida coletiva. Não é fácil transformar estas estruturas, pois tem gente que se beneficia delas. Esta mudança é um processo permanente que normalmente leva muito tempo. ESTE É O LUGAR DE ATUAÇÃO DA PASTORAL FÉ E POLÍTICA. Mais que atender as necessidades imediatas dos pobres e marginalizados, sua tarefa é lutar com outras forças sociais para transformar os mecanismos que produzem pobreza e marginalidade em nossa sociedade.

O Papa Francisco afirma “A política tão denegrida, é uma sublime vocação, é uma das formas mais preciosas da caridade, porque busca o bem comum”. A intenção de entender e interferir na organização da sociedade e transformá-la nem sempre é compreendido e aceito na sociedade nem na própria comunidade eclesial. É emblemática afirmação de Dom Hélder Câmara “se dou comida aos pobres me chamam de santo, se pergunto porque eles são pobres me chamam de comunista”.

Como reflete o Papa Emérito Bento XVl, “Não podemos ficar inativos perante certos processos de globalização que fazem crescer desmesuradamente a distância entre ricos e pobres em âmbito mundial”.

O Movimento Nacional Fé e Política no Brasil foi criado em junho de 1989 durante um encontro de pessoas unidas pela Fé Cristã.

É um movimento ecumênico e não partidário. Não propõe diretrizes para ação política dos cristãos, nem se comporta como se fosse uma tendência político-partidária, mas luta pela construção de um sistema sócio econômico solidário e respeitoso com a Vida e com o Planeta.

Pautamos-nos pelo Documento 105 da CNBB “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade”. Ele estimula a participação dos cristãos leigos e leigas na política, sem preconceito e mudando o pensamento geral de que política é coisa suja.

Impulsiona os cristãos a construírem mecanismos de participação social que contribuam com a democratização do estado.

Incentiva a preparação de cristãos leigos e leigas a participarem de partidos políticos e serem candidatos e contribuírem para a transformação social.

Incentiva a formação de cursos, oficinas, escolas de Fé e Política.

Estimula o acompanhamento aos cristãos que estão em mandato, promovendo encontros e também momentos de oração e reflexão.

OBJETIVOS DA PASTORAL:

Procurar meios de influir na transformação das estruturas da sociedade para a construção de um mundo mais justo, diminuindo as diferenças sociais e injustiças.

Para isto, três elementos são fundamentais para a Pastoral:

- ESPIRITUALIDADE (presente em todas as atividades da Pastoral, não somos uma ONG e sim uma Pastoral da Igreja Católica).

- FORMAÇÃO (Palestras e debates sobre os mais diversos temas sociais, políticos e jurídicos),

- ACOMPANHAMENTO (de políticos com mandatos e todas as atividades e gastos públicos).

Nunca a política esteve tão em pauta em nosso país como recentemente. Precisamos aproveitar este momento e trazer o debate para nossa comunidade, formar candidatos e principalmente eleitores.

Só com união e consciência, através do voto qualificado, vamos conseguir utilizar do maior bem que temos que é a democracia conquistada com tanta luta e assim tornar nosso país mais justo.

Jorge A. Meletti, membro da Pastoral Fé e Política, da de Comunicação e do Terço dos Homens.

Voltar