ADS

Leitura Orante da Palavra de Deus


Em plena comunhão com o Plano de Pastoral de nossa Arquidiocese, a nossa Paróquia deseja viver intensamente o tema escolhido como prioridade pela Assembleia de Pastoral Arquidiocesana para o ano de 2019: Círculos Bíblicos.

O Concílio Vaticano II, no documento Dei Verbum, nº 25, afirma: “É necessário que todos mantenham um contato íntimo com as Escrituras, nas quais aprendam a eminente ciência de Jesus Cristo com a leitura frequente das divinas Escrituras. Desconhecimento das Escrituras é desconhecimento de Cristo (S. Jerônimo)”.

Os Círculos Bíblicos acontecem naturalmente na vida da Igreja que tem, portanto, renovada consciência de que só poderá evangelizar efetivamente se se debruçar sobre a Palavra de Deus.

A prática da Leitura Orante da Palavra de Deus (Lectio Divina) remonta aos primeiros séculos do cristianismo e é um patrimônio de toda a Igreja. São Cipriano, São Cesário de Arles, Orígenes, São Jerônimo, Santo Ambrósio, Santo Agostinho, São Gregório Magno, São Bernardo e tantos outros falaram abundantemente sobre ela e sua importância.

Mas, afinal, o que é esta Leitura Orante da Palavra de Deus? Originariamente é uma leitura pessoal das Escrituras, pela qual alguém se esforça para assimilar sua verdade e vida. É fundamentalmente uma leitura feita na fé, em espírito de oração, crendo na presença atual de Deus que me fala por meio do texto sagrado, esforçando-me para estar deste modo presente em espírito de obediência e de completo abandono, tanto às promessas quanto às exigências divinas.

Em outras palavras:

- uma leitura sem pressa: agradável, repousada, desinteressada, lendo por ler e não para ter lido;

- comprometida: na qual a pessoa toda se entrega com sua inteligência, vontade, imaginação, sentimentos, corpo...

- recolhida: em atitude de fé e amor, procurando um contato vivo e vivificante com a Palavra de Deus;

- sapiencial: sua meta é a comunhão, o estar com Deus, gostar do que se refere a Deus.

São Cipriano, dizia: “Sê assíduo tanto à oração como à leitura. Quando oras, falas com Deus, quando lês, Deus fala contigo”.

Coragem, minha irmã, coragem meu irmão! Vamos nos aventurar nesta instigante e apaixonante aventura, tomando gosto pelo cotidiano contato com a Palavra de Deus. No próximo texto, vamos nos aprofundar um pouco mais, trazendo algumas indicações que vão nortear esse colóquio entre Deus e você.

Pe. Bento Viana

Voltar